Sua empresa está trabalhando a todo vapor, mas o lucro no fim do mês não aparece. Esse é um dilema que assola muitos empreendedores.

Diante desse cenário, os empresários acabam intensificando suas horas de trabalho e até perdendo momentos preciosos com a família, mas será que essa é a solução? A verdade é que não se trata de horas trabalhadas, mas de estratégias bem feitas para contornar essa situação. Hoje, trouxemos 5 estratégias para identificar o porquê a sua empresa não está lucrando e como resolver isso.

1 – Falta de planejamento

Esse é o primeiro e maior motivo que pode estar prejudicando a sua lucratividade. Seja para uma empresa pequena, média ou grande, o planejamento é o primeiro passo para fazer qualquer coisa. É a partir de um bom planejamento que podemos identificar quanto podemos gastar, no que podemos nos diferenciar, como conduzir o capital de giro, como administrar todas as partes. Uma empresa que não planeja é uma empresa que não tem rumo, e como dizem “para quem não sabe onde quer chegar, qualquer lugar basta”.

Para mudar isso, comece hoje a planejar tudo o que está acontecendo na sua empresa, o que precisa de mudanças e quais serão os próximos passos.

2 – Ausência de um Pró-Labore definido

O termo “Pró-labore” é uma locução latina que significa “pelo trabalho”, ou seja, é a remuneração que o empresário ou a empresária deve receber pelo trabalho que realizou. Na prática, isso significa – separar o que é da empresa e o que é do empresário. Muitos empreendedores, dos pequenos aos grandes, acham que todo o dinheiro que entra na empresa é deles, mas é aí que se enganam. É muito importante separar o que será reinvestido na empresa, qual a margem de lucro, o que precisa ser poupado para eventuais imprevistos e só então separar o salário do empresário. No começo, quando a empresa está engatinhando, isso pode parecer muito complexo pelo tamanho do fluxo de caixa, mas com o tempo o Pró-labore precisa se tornar um hábito mensal.

3 – Não ter controle sobre os gastos

Empresário “gastão”, empresa “gastona”. Antes de mais nada, os empreendedores precisam ter controle sobre suas finanças pessoais. A partir disso, o controle sobre as finanças de pessoa jurídica se tornará menos árduo. É normal levar alguns meses para retomar o controle sobre os gatos, mas não é normal viver de forma financeiramente descontrolada, pois isso pode quebrar o seu negócio.

Portanto, comece a listar todas as entradas e saídas do dinheiro da empresa, esse é o melhor caminho para o controle e a gestão do dinheiro.

4 – Não saber precificar

Cobrar o preço errado por seu serviço ou produto pode resultar em um grande prejuízo e perdas para o negócio. Para definir o preço justo é preciso pensar muito, calcular todos os gastos para a venda ou para a prestação do serviço, verificar o preço do mercado e buscar por uma margem de lucro.

5 – Pagar juros

A falta de organização financeira é um fator que pode gerar endividamento para a empresa. Pagar contas com atraso implica em pagar juros e multas. Por isso, é de extrema importância seguir os passos anteriores: planejar, definir o pró-labore, controlar os gastos e saber precificar. Dessa forma, sua empresa conseguirá manter as contas em dia e não terá a necessidade de deixar de pagar algumas contas e ter que pagar dobrado no próximo mês.

Lance todas as contas no sistema, use programas de gestão financeira e saiba todos os meses quanto precisará separar para o pagamento das compras. E é importante lembrar: poupe mensalmente um valor para a empresa, pois isso evita a necessidade de pagar contas em atraso ou prejudicar os funcionários.