Principais motivos que geram a falta do Fluxo de Caixa

Se um trabalhador recebe R$ 1000,00 mensais, mas gasta R$ 1100,00 ele precisará encontrar algum recurso para pagar suas contas, como o cartão de crédito, cheque especial, empréstimos. Entretanto, se isso acontece repetidas vezes ao longo do ano, ele pode ter sérios problemas e até se endividar.

Com uma empresa não é diferente. Se a empresa está enfrentando problemas com o fluxo de caixa e percebe que “a conta não fecha” ela pode precisar de recursos de bancos para resolver o problema, entretanto, mais uma vez, com o tempo a situação pode se tornar uma bola de neve. Mas, o que gera os principais problemas com fluxo de caixa e como evitar essa situação?

Compras incompatíveis com as vendas

Para algumas empresas, o estoque é parte fundamental do sucesso das vendas, mas para outras, um gasto muito grande com estoque pode atrapalhar no fluxo de caixa e não ser tão interessante quanto parece. Qualquer compra feita pela empresa que seja incompatível com as vendas, ou seja, que não vende como deveria, é um problema para o caixa, assim como despesas muito elevadas, onde o lucro não consegue superar os gastos.

Analise exatamente até que ponto o estoque está sendo útil e até que ponto ele realmente funciona. Reveja todos os gastos da empresa e pense no que pode ser cortado, o que pode ser diminuído e o que precisa de fato ser mantido. Essa análise deve ser feita periodicamente, para ter certeza que as compras estão sendo compatíveis com as vendas.

Descontos indevidos

Algumas empresas adoram conceder descontos e fazer promoções, e isso pode ser muito bom em algumas ocasiões, mas também pode ser péssimo em outras. É preciso muita inteligência e perspicácia no momento de conceder descontos, para que eles não pressionem o fluxo de caixa e acarretem problemas financeiros. Calcule quais produtos saíram mais baratos para a empresa naquele mês e que por isso podem ser repassados com desconto para o cliente, fora isso, evite esses benefícios.

Erro na precificação

Outro problema que pode comprometer o fluxo de caixa é o erro na precificação, colocando à venda serviços ou produtos muito mais baratos do que deveriam ser. Isso faz com que a empresa não consiga cobrir os custos de produção, o que pode ser muito grave. Calcule quanto a empresa está gastando para vender aquele produto ou prestar aquele serviço, calcule a margem de lucro que precisa ter sobre a venda, e também vale dar uma olhada na concorrência para saber a compatibilidade dos preços.

Alto endividamento

Se uma empresa possui muitas dívidas, é inevitável que esses gastos pressionem o fluxo de caixa. O mais indicado nesse caso é evitar fazer dívidas, e se elas existirem, buscar as melhores condições para pagá-las com desconto o mais breve possível.

Desconhecimento dos custos

Sim, muitas empresas desconhecem grande parte dos seus custos, e isso é um erro muito grave que pode prejudicar muito o fluxo de caixa. É totalmente necessário verificar não apenas os custos maiores, mas também os detalhes como taxa do banco, algum tipo de juros, o quanto está pagando pelo produto que vende e quanto poderia pagar comprando de outro lugar, entre muitos detalhes. Conheça todos os seus cursos, dos maiores aos menores, e veja o que precisa ser mudado.

Momento de crise

Os momentos de crise podem acontecer e toda empresa está sujeita a isso. Eles podem ser fatais para um negócio caso não haja estrutura para suportar os imprevistos. Por isso, no momento de trabalhar o fluxo de caixa, também é preciso separar um valor, como uma poupança para a empresa, justamente para se proteger caso um momento de crise chegue. Assim, mesmo que um imprevisto surja, a organização será capaz de passar por ele sem ser tão prejudicada e mantendo as contas em ordem.

Esteja atento aos detalhes do seu fluxo de caixa e evite que essa parte fique sem atenção, já que ela é praticamente o coração da sua empresa.